Páginas

domingo, 6 de novembro de 2011

A LENDA DAS TRÊS ÁRVORES




A LENDA DAS TRÊS ÁRVORES
Rita Foelker
Adaptação de uma crônica do Irmão X, do livro “Cartas e Crônicas” (Francisco Cândido Xavier - FEB)
ADAPTAÇÃO PARA ENCENAÇÃO
PERSONAGENS:

-Simão Abileno -
- Aluno -
- As três árvores -
- Criador -
- Construtor -
- Lenhador -
- José -
- Maria -
- Jesus -
Total: 11 personagens
INTRODUÇÃO
O narrador da história será o personagem Simão Abileno. Um evangelizador deverá fazer um comentário inicial e introduzir a história.
O cenário do “palco” deverá ser composto de árvores frondosas, dando uma idéia de um bosque. Será o “pano de fundo” de toda a encenação.
CENA 1
(Duas crianças entram pela porta da frente do salão falando em voz baixa, como se estivessem conversando. Uma será Simão e a outra seu aluno. Os dois se dirigem até o palco. Sugestão: usar evangelizandos da Mocidade para serem estes dois personagens. Simão é o narrador e falará bastante. Da desenvoltura do narrador dependerá a compreensão da história.)
No Plano Espiritual, o velho Simão Abileno conversava com um aluno, quando ele lhe fez um pedido. (Introdução da encenação. Dará ensejo à entrada do personagem-narrador.)
ALUNO: - Simão, por favor, fale um pouco sobre a resposta de Deus às nossas preces.
(Simão para e pensa um instante, antes de falar.)
SIMÃO ABILENO: - Muito bem, sente-se que vou contar-lhes a Lenda das Três Árvores. Esta lenda nos diz assim...
CENA 2
(Com o aluno sentado na assistência, Simão começa a narrar a história. É feita a projeção do título da história, com a figura de três árvores frondosas – conforme no livro.)
SIMÃO ABILENO: - Num grande bosque onde havia muitas árvores, três árvores ainda pequeninas pediram a Deus que lhe desse destinos importantes e diferentes. Elas pediram assim:
(Entram três crianças caracterizadas de árvores. Projetar imagem das árvores pequeninas.)
PRIMEIRA ÁRVORE: - Senhor Deus, queria que minha madeira fosse usada para construir o trono do maior rei da Terra.
SEGUNDA ÁRVORE: - Senhor, queria ser usada na construção do carro que vai transportar os tesouros desse poderoso rei.
TERCEIRA ÁRVORE: - Senhor, queria ser transformada numa torre, que ficasse nas terras desse grande rei, para mostram o caminho do Céu.
SIMÃO ABILENO: - Quando terminaram de dizer suas preces, foi ouvida a voz de um mensageiro de Deus, dizendo que seus pedidos seriam atendidos.
CENA 3
(Projetar imagens das árvores crescendo.)
SIMÃO ABILENO: - O tempo foi passando, passando, até que um dia, chega um lenhador e corta as três árvores. As árvores vizinhas ficaram muito tristes. (Entra o personagem do lenhador com um “machado” nas mãos e simula o corte das árvores. As árvores dão as mãos e o lenhador vai puxando elas para fora do cenário. O grupo entra na Sala de Passes)
CENA 4
(O lenhador retorna puxando as árvores pelas mãos, mas elas já deverão estar sem suas folhagens. As crianças podem se sentar no chão, pois estarão representando a madeira disposta para venda em um mercado. Pode-se fazer uma plaquinha com a inscrição “MERCADO” e colocar em algum lugar neste momento. Projetar imagem de mercado.)
SIMÃO ABILENO: - As três árvores perderam seus, galhos, suas folhas e suas raízes e foram levadas para um mercado, para serem vendidas. Mas, elas nunca perderam a fé nas promessas de Deus. Elas se deixaram levar, com paciência e humildade.
(Entra criança caracterizada de criador. Pode ser uma espécie de pastor. Ela se dirige ao lenhador.)
CRIADOR: - Preciso de madeira para construir um grande cocho, para colocar água para os meus carneiros.
LENHADOR: - Esta aqui vai lhe servir.
(O lenhador conduz o criador até uma das crianças. Os dois saem de mãos dadas.)
CONSTRUTOR: - Preciso de madeira para construir um barco bem forte.
LENHADOR: - Esta aqui vai lhe servir.
(O lenhador conduz o construtor até uma das crianças. Os dois saem de mãos dadas.)
SIMÃO ABILENO: - A terceira árvore, como não foi logo vendida, foi guardada em um depósito, para ser aproveitada futuramente.
(O lenhador conduz a última criança conduz a última criança para fora do cenário.)
CENA 5
SIMÃO ABILENO: - As três árvores ficaram separadas e passaram por muitos sofrimentos, mas continuaram acreditando nas palavras do mensageiro celeste.
(Projetar imagens sugerindo local onde cada árvore estava, representando que as mesmas estão distanciadas uma das outras e em sofrimento.)
- No bosque, porém, as outras árvores perderam a fé no valor da prece.
(Buscar imagens de bosques que transmitam uma idéia de tristeza e depois de felicidade.)
- Mas, muitos anos mais tarde, as árvores do bosque ficaram surpresas, ao saber que os desejos das três árvores foram atendidos.
CENA 6
SIMÃO ABILENO - Quando Jesus estava para nascer, seus pais procuraram abrigo numa estrebaria.
(Inicialmente, entra uma criança que irá representar o criador. Depois entram duas crianças, representando José e Maria.)
JOSÉ: - Minha mulher vai ter um neném, precisamos de um lugar para ficar.
CRIADOR: - Venham, tenho um lugar onde vocês podem ficar e um belo cocho, que poderá servir de berço para o bebê.
(Todos saem de cena e é projetada uma imagem de Jesus na manjedoura.)
SIMÃO ABILENO: - Assim, a primeira árvore, que tinha virado um cocho, foi forrada com panos singelos e serviu de berço para Jesus recém-nascido.
CENA 7
SIMÃO ABILENO: - Quando Jesus estava passando os ensinamentos aos discípulos, ele precisou de um barco para atravessar a lagoa.
(Inicialmente, entra em cena o construtor e depois Jesus. Jesus se dirige ao construtor.)
JESUS: - Preciso de um barco para atravessar o lago com meus companheiros de viagem.
CONSTRUTOR: - Tenho um bom barco, que caberá todos vocês.
(Todos saem de cena e é projetada uma imagem de Jesus com os discípulos em um barco.)
SIMÃO ABILENO: - A segunda árvore, que havia virado um barco, foi usada por Jesus para transmitir, sobre as águas, belos ensinamentos.
CENA 8
(O lenhador entra em cena com a terceira árvore. A criança poderá ficar com os braços abertos, em forma de cruz. Depois, entrará Jesus, entristecido e conduzirá a cruz para fora de cena.)
SIMÃO ABILENO: - A terceira árvore foi transformada apressadamente em uma cruz, que Jesus carregou até o Gólgota.
(Jesus e a cruz saem de cena. É projetada imagem de Jesus no Gólgota, na cruz.)
- E, no alto do monte, aquela cruz guardou valentemente o corpo de Jesus e seu coração cheio de amor pela Humanidade. Ela mostrava o verdadeiro caminho do Reino dos Céus.
(Depois de uma pausa, Simão conclui a narrativa.)
SIMÃO ABILENO: - Então, compreendeu a história?
(Aluno se levanta e os dois ficam frente à frente.)
SIMÃO ABILENO: - Em verdade todos nós podemos fazer preces diversas para Deus. No entanto, todos precisamos saber esperar e compreender as respostas de Deus.
- As três árvores queriam servir a um grande rei. Seus pedidos foram atendidos após muito tempo. As três ajudaram a maior de todos os reis a cumprir sua missão – Jesus.

Um comentário: