Páginas

quarta-feira, 28 de maio de 2014

A MARGARIDA FACEIRA

Material Necessário:

Feltro verde - caule e folhas
Feltro amarelo - miolo com uma carinha
Feltro branco - oito pétalas

Instruções:

Monte a margarida no quadro, começando com as partes verdes. Use a ponta do caule como centro e coloque oito pétalas formando um círculo quase completo.

Depois, coloque o miolo amarelo, bem no centro.

 1.Divida a classe em dois times.
 2.Faça perguntas alternadamente para os times.
 3.Quem responder certo pode escolher uma pétala e retirá-la do quadro. No verso de cada pétala tem o número de pontos que o time receberá pela resposta certa. (O valor dos pontos deve variar entre 50 e 125. O time que tiver a maior soma de pontos será o vencedor. - Não coloque as pétalas em ordem crescente de pontos).





segunda-feira, 12 de maio de 2014

A LIÇÃO INESQUECÍVEL



A Lição Inesquecível 
Francisco Cândido Xavier
Pelo Espírito Neio Lúcio 


 Hilda, menina abastada, diariamente dirigia más palavras à pequena 
vendedora de doces que 
lhe batia humildemente à porta da casa. 
 — Que vergonha! De bandeja! de esquina a esquina! Vai-te daqui! — 
gritava, sem razão. 
 A modesta menina se punha pálida e tremula. 
 Entrementes, a dona da casa, tentando educar a filha, vinha ao encontro 
da pequena humilhada e dizia, bondosa: 
 — Que doces tão perfeitos! Quem os fez assim tão lindos? 
 A mocinha, reanimada, respondia, contente: 
 — Foi a mamãe. 
 A generosa senhora comprava sempre alguma coisa e, em seguida, 
recomendava à filha: 
 - Hilda, não brinques com o destino. Nunca expulses o necessitado que 
nos procura. Quem sabe o que sucederá amanhã? Aqueles que socorremos 
serão provavelmente os nossos benfeitores. 
 A menina resmungava e, à noite, ao jantar, o pai secundava os 
conselhos maternos, acrescentando: 
 - Não zombes de ninguém, minha filha! o trabalho, por mais humilde, é 
sempre respeitável e edificante. Por certo, dolorosas necessidades impelirão 
uma criança a vender doces, de porta em porta. 
 Hilda, contudo, no dia seguinte, fustigava a vendedora, exclamando: 
 - Fora daqui! Bruxa! bruxa!... 
 A mãe devotada acolhia a pequena descalça e repetia à filha as 
advertências carinhosas da véspera. 
 Correu o tempo e, depois de quatro anos, o quadro da vida se 
modificara. 
 O paizinho de Hilda adoeceu e debalde os médicos procuraram salvá-lo. 
Morreu numa tarde calma, deixando o lar vazio. 
 A viúva recolheu-se ao leito extremamente abatida e, com as despesas 
enormes, em breve a pobreza e o desconforto invadiram-lhe a residência. A 
pobre senhora mal podia mover-se. 
 Privações chegaram em bando. A menina, anteriormente abastada, não 
podia agora comprar nem mesmo um par de sapatos. 
 Aflita por resolver a angustiosa situação, certa noite Hilda chorou 
muitíssimo, lembrando-se do papai. Dormiu, lacrimosa, e sonhou que ele vinha 
do Céu confortá-la. Ouviu-o dizer, perfeitamente: 
 - Não desanimes, minha filha! vai trabalhar! Vende doces para auxiliar a 
mamãe!... 
 Despertou, no dia imediato, com o propósito firme de seguir o conselho. 
 Ajudou a mãezinha enferma a fazer muitos quadrinhos de doce de leite 
e, logo após, saiu a vendê-los. Algumas pessoas generosas compravam-nos 
com evidente intuito de auxiliá-la; entretanto, outras criaturas, principalmente 
meninos perversos, gritavam-lhe aos ouvidos: 
 - Sai daqui! Bruxa de bandeja!... 
 Sentia-se triste e desalentada, quando bateu à porta de uma casa 
modesta. Graciosa jovem atendeu. 
 Ah! que surpresa! era a menina pobre que costumava vender cocadas 
noutro tempo. Estava crescidinha, bem vestida e bonita. 
 Hilda esperou que ela a maltratasse por vingança, mas a jovem humilde 
fitou nela os grandes olhos, reconheceu-a, compreendeu-lhe a nova situação e 
exclamou, contente: 
 - Que doces tão perfeitos! Quem os fez assim tão lindos? 
 A interpelada lembrou os ensinamentos maternos de anos passados e 
informou: 
 - Foi a mamãe. 
 A ex-vendedora comprou quantos quadrinhos restavam na bandeja e 
abraçou-a com sincera amizade. 
 Desse dia em diante, a menina vaidosa transformou-se para sempre. A 
experiência lhe dera inesquecível lição. 

A LIÇÃO INESQUECÍVEL



































quarta-feira, 7 de maio de 2014

DIA DAS MÃES




ENVELOPE DORME-ACORDA 

Materiais: cola branca, lápis de cor, risco do envelope dorme-acorda, tesoura com ponta arredondada.

Colocando em pratica - multiplique o risco do envelope de forma que cada aluno tenha um. Entregue-os e peça que os pintem. Explique as crianças que elas podem utilizá-lo para colocar um desenho de criação espontânea e deixá-lo, à noite sobre o travesseiro da mamãe, renovando ou acrescentando um desenho a cada dia. Na roda de conversa colha os depoimentos dos alunos.