Páginas

terça-feira, 8 de maio de 2012

TEATRO DE FANTOCHE

AS PALAVRINHAS MÁGICAS

NARRADOR:Era uma vez um menino chamado Juquinha que morava com sua mãe e seu avô Tito numa cidadezinha muito bonita. Juquinha era um menino que adorava travessuras. Era um menino muito levado e sem educação.

CENA: Abre a cortina,entra Juquinha e se apresenta.

JUQUINHA: Oi pessoal! Eu sou o Juquinha e não gosto mesmo de fazer gracinhas para ninguém. Quando eu quero, quero. Faço sempre tudo que me dá na cabeça e não preciso de ninguém. Ainda mais agora que mamãe viajou e vovô é muito velho para brigar comigo. Ah!Ah!Ah!

NARRADOR: Perto dali Mariazinha brincava com o seu amiguinho Pedrinho.

CENA: Abre a cortina e as duas crianças brincam de A-BO-LE-TA. Eles param de brincar e se apresentam e cumprimentam as crianças.

MARIAZINHA: Pedro com tantas crianças bonitas, que tal todos nós brincarmos de cantar?

PEDRO: Boa idéia Maria! Está um lindo dia e eu adoro cantar. Vamos todos cantar amiguinhos?

CENA: Os dois cantam: Oi tudo bem? Você precisa de um amigo....
Quando a música, termina entra Luiza com uma bola, se apresenta e chama os amigos para brincar.

LUIZA: Oi pessoal, eu sou Luiza, Pedro vamos brincar de bola?

CENA:Quando começam a brincar entra Juquinha empurrando as crianças,

JUCA: Me dá a bolsa que eu quero brincar.
LUIZA: Não, nós estamos brincando.
JUCA: Eu quero a bola só para mim.
PEDRO: A bola não é sua.
JUCA: Me dá senão eu estouro.
MARIAZINHA: Não faça essa maldade Juquinha.
JUCA: Faço sim. (estoura a bola e sai rindo).

CENA: As crianças saem chorando e a cortina se fecha. Toca uma música “Fazer o Bem”. Abre a cortina e Juquinha está cantarolando quando entra o vovô Tito.

VOVÔ: Juquinha, preciso lhe dar uma notícia muito triste. Sua mãe estranhou o clima lá da cidade onde ela foi, adoeceu e está no hospital. Eu sou muito velho para levar você, pois o lugar é muito longe e eu não agüento viajar muito tempo sentado. O que vamos fazer?

JUCA: (chorando) Não se preocupe vovô, vou chamar a turma para ir comigo.

CENA: Saí o avô e Juca fica a procura dos amigos.

JUCA: Maria! Pedro! Luiza! Onde estão vocês? Vocês vão ter de me ajudar! Depressa! Agora!

CENA: Entram as crianças.

MARIA: O que você quer Juca?
JUCA: Preciso viajar para ver minha mãe e não posso ir sozinho. Vocês vão comigo, já resolvi!

CENA: As crianças se reúnam e cochicham.

MARIA: Juca, você é sempre mal para nós e agora é a nossa vez. Nós não vamos não.

CENA: As crianças saem rindo e Juca fica chorando.

JUCA: Eu não vou conseguir ver minha mãezinha...

CENA: Entra o avô.

TITO: O que houve meu filho?
JUCA: As crianças não querem me ajudar!
TITO: Mas porque? Você explicou tudo? Você pediu?
JUCA: Eu falei e só. Não peço nada a ninguém, eu mando.
TITO: Não, Juquinha, você está errado. Jesus nos ensinou a amarmos todos como irmãos e não é assim que devemos tratar nossos irmãos. Devemos sempre ser humildes, caridosos, amáveis e fazermos sempre o bem, pois assim teremos sempre o bem de volta e Jesus que está sempre conosco ficará muito feliz também.
Aprenda a usar as palavrinhas mágicas que vou te ensinar: OBRIGADO, COM LICENÇA, POR FAVOR E DESCULPE. Com estas palavrinhas tudo será mais fácil para você.
Vamos cantar criançada?
Obrigado para agradecer....

JUCA: Obrigado vovô, não vou esquecer. Vou correndo procurar meus amiguinhos.

CENA: Sai Juca e entram as crianças.

TITO: Porque vocês não ajudaram Juquinha a ir ver a mãe dele?
PEDRO: Porque ele é levado e sem educação!
TITO: Mas vocês estão errados, se esqueceram também das palavrinhas mágicas que são: caridade, perdão e amor. Estas palavrinhas quem nos ensinou foi JESUS, por isso jamais devemos esquecê-la. Pense, nisso....

CENA: Sai o vovô e as crianças ficam a pensar.

MARIA: Acho que ele tem razão.
PEDRO: É, coitado do Juquinha.
LUIZA: Coitadinha da mãezinha dele!
MARIA: Acho que devemos ajudá-lo.

CENA: Entra Juca.

JUCA: Oh! Meus amigos! O vovô me ensinou a usar quatro palavrinhas mágicas e meus amiguinhos aqui me ajudaram a aprender uma música nova. Eu queria pedir desculpas a vocês. Por favor meus amiguinhos, me perdoem as maldades que fiz me ajudem a ir ver a minha mamãe. Eu prometo de que agora em diante vou ser um bom menino.

CENA: Todos se abraçam e dizem:

TODOS: Claro que vamos ajudá-lo Juquinha!

MARIA: Hei, mas tem uma condição:

JUCA: Qual?
MARIA: Que você nos ensine a música nova.

JUCA: Ah! Isso é fácil, não é garotada? Vamos lá... Obrigado para agradecer...

GRUPO ESPÍRITA JOANA D’ARC

COMO CATIVAR EM FAMILIA?




Atividade realizada pela evangelizadora Ana Cristina com a turma do II Ciclo -II ENCONTRO DA FAMÍLIA

MURAL PAZ NO LAR, PAZ NO MUNDO




quinta-feira, 3 de maio de 2012

DIA DAS MÃES

TÍTULO:A DONA DA CANÇÃO

AS CRIANÇAS CANTA PELA PRIMEIRA VEZ FAZENDO GESTOS A MÚSICA "A Dona da Canção" de Vilma Macedo de Souza.

Em seguida declamam as trovinhas:

Em seus olhos, toda mãe
Põe mais ternura e mais brilho
Quando diz- "Deus te abençoe
E te proteja meu filho."

Mãe que diriges meu rumo
Com o senso de que não erra
És o universo resumo
De todo o bem que há na terra.

"Nada igual a Deus no mundo"
Diz a mãe. E a filha:- Há sim,
Teu amor, santo, profundo
Que, como Deus, não tem!
Nininha Fernandes

Para terminar cantam novamente a mesma música e vão apresentando as palavras da música em
plaquetas, formando a frase:

"QUEM SERÁ QUEM SERÁ QUEM SERÁ É VOCÊ MAMÃE QUERIDA .

DIA DAS MÃES

HOMENAGEM ÀS MÃES

São cinco meninas com uma cestinha de flores(um ramalhete e pétalas), onde uma a uma, fazem a sua homenagem:
à mãe jovem
à mãe velha
à mãe avó
à mãe adotiva
à mãe creche

1- Dedicamos o dia de hoje, à mãe jovem
Que carrega o filho bebê como tesouro precioso que Deus lhe deu
E vive a sonhar com o momento em que ele virá
balbuciar a palavra mã...mamãe.
O momento em que ele dará os primeiros passinhos, sob o amparo de suas mãos amorosas, os primeiros passos para a vida.

2- Dedicamos este dia à mãe velha,
Que parte de sua vida, vive de recordações,para ver o filho correr e
brincar pela casa,
Que hoje está vazia.
Recorda...quando ele saiu pela primeira vez,
Para a escola de uniforme novo.
Inicio de uma vida nova,
Diferente para ele, pois já não seria permitido a sua presença constante de mãe.
Hoje o filho está crescido, dono da sua vida,
e aqueles passos que ela carinhosamente lhe ensinou,
o levaram para longe, ao encontro das provas da vida.

3- Hoje, também é o Dia da Vovó,
Que se torna mãe duplamente,
Pois, depois do filho criado tudo se renova,
Volta a cuidar do neto, e uma vitalidade nova
faz com que esqueça o corpo cansado,
para se dedicar ao neto, que ela ama duplamente,
pois é filho de seu filho,
E... se o filho é lindo,
O neto... é maravilhoso.

4- Queremos homenagear hoje,aquela mãezinha muito especial,
A mãe adotiva
Que aguarda por vezes, não nove meses,
Mas, dezoito, vinte ou anos e anos para a
chegada do filho sonhado,
E..não importa com quem ele se pareça,
Se louro, se moreno ou negro,
Importa acolhê-lo nos braços e amá-lo...

5-Não resta dúvida, hoje é o dia de todas as mães....
Mas... queremos lembrar também hoje
Da mãe... dos filhos das outras mães,
Que durante o dia todo se desdobra a proteger aqui,
a consolar outros ,
que ama sem predileção, para que no fim do dia,
ele seja devolvido à sua mãe verdadeira,
Deixando os seus braços vazios.
Mas... a estas mães recordamos as palavras de Jesus
quando Maria de Magdala, triste, lhe diz
Não ter sido abençoada pelo dom da maternidade.
Ele a envolve com seu olhar terno e misericordioso e lhe diz:
Mulher!
Que mãe é mais amorável,
A mãe que sofre por amor aos seus filhos,
Ou a mãe que sofre por amor aos filhos de outra mãe?

Agora,se cada filho aqui presente,
encarnado ou desencarnado pudesse materializar o seu amor, por sua mãezinha,
com certeza, seria algo muito sublime,
como uma chuva perfumada de pétalas de flores... (fundo musical)

Conta-nos uma lenda,que todas as flores sentiram uma grande vontade de ver Jesus, para demostrar a ele a sua gratidão.
Então, pela vontade que sentiram, cada flor, se transformou em uma borboleta: pequenas, grandes, brancas, azuis, amarelas e alçaram vôo, rumo ao céu.
Hoje... pela nossa enorme vontade de demostrar o nosso amor, a nossa gratidão por aquela que nos deu a oportunidade da vida física, nosso amor se materializa, se transforma em suave e perfumada chuva de pétalas de flores.(as 5 crianças saem derramando as pétalas sobre as mães presentes.)